Páginas

As lições da vida


Não devemos querer saber demais, para que nosso aprendizado não seja árduo, e as respostas não fiquem como chaves que não abrem nenhuma porta. Já perguntei demais, quis ver demais, ouvir demais - agora não quero tanto como antes. Prefiro não saber, quero a minha mente e meu corpo sem mácula. Tantas perguntas se emudecem com o tempo, admoestadas pela boca que perguntava e se magoava com a própria desilusão do mundo. Ah, fui longe demais - tanto que me feri em querer conhecer, em querer sentir a vida em uma plenitude inútil. Agora não sei ainda com estou: talvez triste, talvez conformado. Apenas sei que a minha voz emudeceu na minha boca tão amarga; já não chama, já não indaga, já não deseja nada - apenas resiste à sua inerente brevidade.
Clebson Moura Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário