Páginas

Considerações

     Ah, quero ouvir música clássica, enquanto as tempestades corrompem como mundo. Quero a ternura e tristeza de Chopin; o sofrimento árduo de Bach; a brandura e delicadeza de Mozart; o rigor intermitente de Beethoven; a doçura e libertação de Tchaikovsky; a harmonia de Hendel; a pronfundidade de Listz; a compassividade de Ravel. Quero piano, violoncelo, violino... 

     A imensidão da música erudita entrelaça a alma. Ah, ouvir a sua doçura, puramente, sem pensar em nada. Sem ter que voltar aos trabalhos humanos. Liberdade... - a morte deve ser uma enorme ventania que nos deixa livres de tudo. Um perfume no vento. Uma flor sendo levada dos cabelos. Talvez seja melhor que a vida. Sim. E nós a tememos puramente porque nos é desconhecida. 

Clebson Moura Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário