Páginas

Primeiro encontro





Ainda que inocência haja em meus olhos quando miro a essencialidade da vida, deixei de acreditar um pouco nas antigas ilusões do passado. Talvez a vida tenha ficado vazia demais, e até mesmo as esperanças desbotaram, perderam a alacridade, estão secas. Antigamente, quando meu pensamento ocupava-se em tecer quimeras impossíveis, sonhava em andar de mãos dadas por campos floridos. Sim, e com o vento forte, despenteando os cabelos, levando cada palavra de amor até a eternidade. E assistir ao pôr-do-sol juntos, conversando coisas infantis, rindo à toa, felizes apenas por estarem juntos. Ah, mas os meus sonhos foram feitos para morrerem dentro de mim. 


Clebson Moura Leal

2 comentários:

  1. Ah, que sonhos lindos!

    Os sonhos são para serem vividos, quem disse que isso não pode acontecer? Paciência.

    E utopia são para os que não acreditam, a realidade está a um passo desse substântivo tão aclamado.

    Muito bom texto! Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Ah, os sonhos não morreram...Apenas adormeceram...Há em algum lugar alguém que vai acordá-los! Lindo blog, ótimo texto. Quer falar de amor? Visite meu blog, espero vc. Ah! Estou te seguindo!

    http://gizamai.blogspot.com/

    ResponderExcluir