Páginas

Suavidade


Trago do vento todas as tuas palavras.
Pois então, minha tristeza se principia:
ah, esses sons de tempos sem horas e datas....

E novamente, ao ouvi-las, exatas e plenas,
não houve como conter a tristeza que havia,
‑  relembrando antigas lágrimas, apenas.

A voz, como a tua vida e a tua lembrança,
é efêmera forma suave que se acabaria...

E não hei de fazer nada – minha mão não te alcança!

Tudo que tenho é o que te darei: a herança
de um longo adeus esquecido na ventania.


Clebson Moura Leal 

Nenhum comentário:

Postar um comentário