Páginas

Adeuses




     Primeiro abrimos as distâncias com ambas as mãos; depois seguimos por mares impossíveis. E perdemo-nos quando as tempestades destruíram nossas velas frágeis, insuficiente para tão longas viagens. E já então não cumpríamos mútuas promessas de regresso. Fomos afogados em silêncios opostos, todas as palavras ficavam impossíveis diante da imensidão do horizonte. Deixamos os sonhos afundarem. Não atiramos às águas garrafas com cartas escritas: nunca houve  coragem para pedir socorro.  Simplesmente tínhamos aceitado o destino, tristemente - e nosso destino era nunca mais.


Clebson Moura Leal 

5 comentários:

  1. Que o breve
    seja de um longo pensar

    Que o longo
    seja de um curto sentir

    Que tudo seja leve
    de tal forma
    que o tempo nunca leve.

    Alice Ruiz

    BOM FDS...Beijos de coração prá coração! M@ria

    ResponderExcluir
  2. Olá Clebson
    Embora o destino não tenha sido generoso com vocês, o texto é lindo,.
    Abração

    ResponderExcluir
  3. Quantos amores assim se perdem...Triste, belo, e com certeza verdadeiro. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente aceitamos o destino, tristemente - e nosso destino era nunca mais.


    Maravilhoso Clebson...


    Também adoro estar por aqui..

    Beijos


    Ani

    ResponderExcluir
  5. Obrigado, meus amores!

    Fico muito feliz que gostem do que escrevo :D


    Visitem-me sempre! (eu vou adorar)
    Beijos

    ResponderExcluir