Páginas

Pequeno poema triste


Antes, contente, cantava o tempo
em que estiveste ao meu alcance,
e minha voz não era sofrimento

sobre uma vida de desengano;
não só a tristeza de ter ciência
da fragilidade do sopro humano.

Vinha eu impetuosamente brando
apenas querendo encontrar-te,
ainda que nem soubesse quando...

Por onde passava, flores deixava
nas soleiras das portas antigas
como sinal que tudo se acabara.

E também a minha vida
- triste lágrima inútil
pelo que nunca deixou de ser ruína.


Clebson Moura Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário